19 de Maio de 2017

Ministrantes elogiam a iniciativa do grupo de estudos OrtoEleva

O primeiro dia do Grupo de Estudos Avançados OrtoEleva 2017 lotou a sala do SEST SENAT na tarde desta quinta-feira, 18.  Os estudos iniciaram com a aula do professor e doutor Gerson Schulz Maahs, membro do grupo clínico Hospitais São Lucas e Clínicas. O otorrino falou sobre respiração bucal, como se identifica uma obstrução das vias aéreas e formas de examinar a anatomia nasal. “Essa ideia de grupo de estudos é muito interessante, interdisciplinar, com alunos interessados, profissionais maduros”, denota Gerson. O Doutor comentou sobre as discussões com os casos clínicos, em que é satisfatório mostrar pacientes reais com tratamentos longos, que trazem resultados. “É fundamental mostrar esses casos desafiadores, um nunca é igual ao outro, e ter essa oportunidade é fascinante”.

Ainda no primeiro dia de encontro, Márcia Maahs, Doutora em Odontologia, professora da UFCSPA, falou sobre a inter-relação entre o otorrino e ortodontista no tratamento de pacientes respiradores orais e na Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAHOS). A Dra. considera a idéia do grupo de estudos da Eleva uma iniciativa muito relevante, por se tratar de uma cidade interiorana, com profissionais de alto nível de instrução. “É um público com uma ótima formação, que torna a conversa muito boa”, afirma a doutora.

Os alunos também ressaltam a dinâmica agradável do grupo, Suelen Bernardes vem pela segunda vez participar do OrtoEleva, pois adora a recepção e acredita no profissionalismo dos professores.

O Grupo de Estudos Orto Eleva começou em 2014, com a finalidade de trazer inovação e atualizações da área ortodôntica de forma dinâmica. Os ministrantes são renomados profissionais e discorrem sobre os temas com fluidez, o que atrai diversos alunos todos os anos. Os estudos se dividem em dois encontros de três dias em Santa Maria. No primeiro semestre ele ocorre em maio, com professores variados, e depois em outubro, o qual o ministrante destacado é o professor e doutor, Dino Capelozza, um dos principais expoentes da ortodontia nacional. Além dos encontros, os alunos mantêm contato em um grupo online com troca de informações e dicas constantes. Também há o Café Científico, em que os estudantes se reúnem três vezes durante o ano para discussões acerca de temas da área, assim, há uma continuidade dos estudos.